07/08/2019 12:33:00

Adalto diz que não houve geração de empregos e renda por isso pede que prefeito não reajuste o IPTU de 2020

Autor: Assessoria e Imprensa

Foram dois pedidos referentes à Lei do IPTU. Adalto de Souza solicitou que a Prefeitura, antes de começar a trabalhar nas peças orçamentárias LOA e LDO para 2020, encaminhe dois projetos de lei para a Câmara. O 1º fazendo alteração nos padrões das casas, referente à Lei do IPTU, ele quer que sejam melhor discriminadas as informações que enquadram as residências nos padrões A, B, C e D.

O 2º pedido é para que não seja feito o reajuste dos 10% do IPTU em 2020, pois em sua análise o município não gerou empregos, a renda da população também não melhorou e próprio imposto não teve a arrecadação esperada. “Acredito que tem muita gente descontente com essa questão do IPTU e gostaria de fazer este pedido, que antes de mexer nas peças orçamentárias faça essa alteração na lei e também que não promova o reajuste”, concluiu ele lembrado que tem cerca de um mês ainda para serem trabalhadas a LOA e LDO.

Ele cobrou também a mudança de local do bebedor de água que existe na Praça 13 de Maio, pois uma senhora reclamou que o aparelho fica em frente à porta do banheiro feminino o que causa constrangimento nas mulheres.

Também na mesma praça, pediu a troca da calçada de “bolachões de madeira” que já estão velhos pois algumas pessoas inclusive os funcionários que fazem a limpeza encontraram lacraias no local. Por isso, estendeu que sejam trocados também os mesmos pisos que tem nas calçadas dos canteiros centrais da avenida Brasil e sejam colocados Paver.

Gilmar Moro, comentou sobre os canteiros feitos com “bolachões de madeira”, que falta renovar apenas um dos canteiros e garantiu que já fez a cobrança ao secretário de obras que afirmou que irá atender a demanda. A respeito do IPTU também disse que irá novamente falar com o prefeito.

Eduardo Rocha também disse que esteve falando com o prefeito cobrando que não fizesse o aumento no IPTU/2020 e disse que o gestor de imediato foi receptivo entendendo as cobranças e sendo receptivo a não estar fazendo o aumento no próximo ano.  

Para Adalto é importante saber que os assuntos já estão encaminhados com o prefeito, mas espera que a definição melhor dos padrões de casas precisa ser feita para que não haja o mesmo transtorno destes dois últimos anos.

FOTOS DA NOTÍCIA Clique na foto para abrir