10/07/2019 12:31:00

Renato responde prefeito e cobra clareza do gestor em projeto de apenas três folhas

Autor: Tribuna Livre - explicações pessoais

Após ter feito um vídeo reclamando de um serviço e dá gestão da Cooperativa Coopsev’s, Renato Parra (PTB), foi vítima do que ele chamou de Ira (intenso sentimento de ódio, de rancor, geralmente dirigido a uma ou mais pessoas) do prefeito Moacir Giacomelli. O gestor municipal convocou entrevista e, totalmente confuso, misturou os assuntos, vindo a criticar o parlamentar sobre outro projeto que nada tem a ver com o vídeo que Renato fez.  

Na entrevista o prefeito diz que Renato estaria fazendo picuinha ao questionar um projeto que a prefeitura enviou a Câmara, mas o próprio líder do prefeito assinou o oficio pedindo informações mais concretas, pois trata-se de um projeto que vai endividar o município por pelo menos 8 anos e interferir em orçamentos futuros que são impossíveis de prever.

“Um projeto para buscar R$ 5 milhões na Caixa Econômica Federal vir aqui com apenas três folhas? Vocês acham que aqui tem algum analfabeto de pai e mãe que vai aprovar um projeto desse jeito, que endivida o município?”, questionou o parlamentar, lembrando que os juros poderão chegar a 12% o que é exorbitante em sua concepção.

Ele salientou (sendo confirmado pelo presidente posteriormente) que o projeto tem prazo regimental para ser analisado, além disso, também será submetido a audiência pública, então não se trata de picuinha dos vereadores, mas sim, explicar para a população, pois ela também tem que saber o quanto vai ter que pagar pelo asfalto já que isso é inevitável.

Além disso, há o risco de que uma dívida desse porte possa interferir em outras áreas da administração, como por exemplo a folha de pagamento dos funcionários, a Saúde, Educação etc, pois não há como saber quanto o município irá arrecadar nesses anos futuros, mas se sabe com certeza de que o pagamento desse financiamento será o primeiro a ser descontado pois é retido na fonte.

O parlamentar lembrou que o projeto é ainda mais complexo por que se trata de alterar o Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA).

Ainda sobre a entrevista do prefeito Renato lembrou:

“No meu mandato como presidente aqui na Câmara nós devolvemos R$ 400 mil para a Prefeitura e nem a capacidade de fazer o meio-fio do bairro Bom Jesus que custava R$ 50 mil ele conseguiu fazer”, afirmou Parra. O prefeito até se comprometeu verbalmente em fazer o meio fio pois é necessário para não deteriorar o asfalto, mas descumpriu a promessa.

Ainda segundo o parlamentar, o prefeito não prioriza a necessidade da população, mas sim o que quer. Como exemplo citou gastos no Centro de Eventos, Garagem da Secretaria de Obras e a fachada da Prefeitura. Ou seja, serviços que poderiam esperar pois as demandas diárias da comunidade são mais urgentes.

FOTOS DA NOTÍCIA Clique na foto para abrir