23/06/2020 10:24:00

IR 2020: Falta uma semana para o fim do prazo

Autor: Assessoria de Comunicação com inf. RF

Geralmente quem já tem ganhos financeiros e patrimônios mais “altos” está acostumado a fazer sua declaração do (IR), no entanto, muitas pessoas todos os anos entram na faixa de quem é obrigado a declarar o imposto. Neste ano devido à diversos fatores principalmente relacionados à Pandemia do Covid-19 o prazo foi prorrogado, mas já está chegando ao final, pois o próximo dia (30/06) é o último dia, ou seja, daqui uma semana.

Você pode pessoalmente fazer sua declaração, basta seguir as orientações destacadas no site da Receita Federal e em diversos outros sites e canais que ensinam o passo a passo para este trabalho, mas é preciso ter cuidado para não ocorrer erros e futuramente ser multado. Por isso muitas pessoas preferem procurar uma empresa de Contabilidade.

Mesmo assim é importante saber o que e porque aqueles valores e objetos estão sendo declarados, por isso, abaixo vamos trazer a você várias informações importantes referente ao IR.

 

Quem é obrigado a declarar?
Você só precisa se enquadrar em uma das opções abaixo.

- Ter recebido mais de R$ 28.559,70 de renda tributável no ano como; seu próprio salário, sua aposentadoria ou aluguéis.

- Ter ganho mais de R$ 40 mil isentos, não tributáveis ou tributados na fonte no ano, como alguma indenização trabalhista ou rendimento de poupança.

- Ter ganhos com vendas de bens do tipo Casa por exemplo.

- Ter vendido ou comprado ações na Bolsa de Valores.

- Ter recebido mais de R$ 142.798,50 em atividade rural como agricultura, por exemplo ou ter prejuízo nesta mesma área a ser compensado no ano de 2019 ou nos próximos anos.

- Ter sido dono de bens de mais de R$ 300 mil

- Ter vindo morar no Brasil em 2019 e ficado aqui até 31 de dezembro.

- Ter vendido imóvel e comprado outro num prazo de 180 dias, usando a isenção de IR no momento da venda.

 

Com essas opções e se enquadrando em pelo menos uma delas, caso você decida fazer sua declaração pessoalmente, o primeiro passo é entrar no site da receita federal e baixar e instalar o programa para o preenchimento do IR 2020 no seu computador.

Ao baixar o programa você deve escolher a versão compatível com o sistema operacional da sua máquina como: Windows, Mac, Linux etc.

Quem já declarou no ano passado pode recuperar as informações da declaração, mas não poderá utilizar o mesmo programa, portanto, é necessário instalar o novo programa específico para o IR 2020 e através dele recuperar as informações do ano passado, o que vai agilizar o preenchimento de diversos campos da declaração do IR 2020.

Caso vá declarar pela primeira vez, você vai precisar dos números do seu CPF e título de eleitor, além dos dados de endereço e da sua profissão. Quando a pessoa é casada e vai fazer a declaração em conjunto o programa também vai pedir o CPF dele(a).

Aliás, caso você tenha dependentes ou alimentandos, precisará informar os CPFs de todos eles na declaração, inclusive das crianças.

**Bebês nascidos a partir do final de 2017 já têm o número de CPF informado na própria Certidão de Nascimento.

Outros dados como o informe de seus rendimentos no trabalho também serão necessários, então peça ao seu empregador esse relatório caso ele não tenha o costume de te fornecer, embora,  elas (as empresas) saibam que tinham até 28 de fevereiro para entregar o informe de rendimentos de 2019 aos seus funcionários, então, consulte o RH da sua empresa se necessário.

Nesse informativo será informado quanto você recebeu de salário e quanto pagou de Imposto de Renda na fonte e de INSS. O informe pode trazer outros detalhes, como gastos com o plano de saúde ou aplicações no plano de previdência, quando esses benefícios são oferecidos pela empresa. Você também vai precisar dos comprovantes de rendimentos do seu cônjuge e dos seus dependentes caso eles trabalhem ou recebam pensão e façam a declaração em conjunto com você ou sejam seus dependentes.

Mas caso você tenha sido demitido em 2019 pegue o informe na antiga empresa, e se você foi demitido ou trocou de emprego em 2019, procure a papelada da rescisão, os comprovantes de recebimento do FGTS e do seguro-desemprego. Peça ao RH da empresa antiga para enviar o comprovante de rendimentos do período que você ainda estava lá.

APOSENTADOS

Aposentado pode baixar informe do INSS, se você recebe aposentadoria ou pensão pelo INSS, não se esqueça de pegar o comprovante dos rendimentos. O documento está disponível no site da Previdência.

O banco ou os bancos que você possui conta também devem fornecer o relatório contendo todas as suas informações financeiras, como saldo em conta corrente, poupança e quanto renderam seus investimentos em 2019 etc. O documento deverá estar disponível pela internet ao entrar na sua conta ou na agência.

Isso também vale para quem tem investimentos no Tesouro Direto ou negociou ações. Peça o documento no banco ou corretora onde você fez a compra dos papéis. Se você contribui para um plano de previdência privada (PGBL/VGBL) ou fundo de pensão, ou se já está recebendo benefício, a instituição que administra o plano também deverá disponibilizar o comprovante com os valores pagos ou recebidos no ano passado.

Lá no programa, ao fazer a declaração você será perguntado se prefere o Modelo Completo ou Simplificado para preencher sua declaração. No modelo simplificado, é aplicado um desconto padrão de 20%, até o limite de R$ 16.754,34. Já o modelo completo permite utilizar as deduções legais para abater o valor do imposto a pagar ou aumentar a restituição.

Preencha todos os campos da declaração e no final, o programa informará a você qual é a opção mais vantajosa com os valores deduzidos e o que você receberá de restituição.

 

Muitos outros gasto que você teve no ano são dedutiveis e outros não, então veja no site https://receita.economia.gov.br/ as informações a respeito disso.

Estas são apenas algumas das informações a serem observadas caso você precise fazer sua declaração, então veja se você se enquadra entre as pessoas que são obrigadas a declarar e se informe ou com a própria Receita Federal ou em um profissional Contador de sua confiança.

O prazo de entrega da declaração vai até as 23h59 do dia 30 de junho, pelo horário de Brasília.

Quem atrasar a entrega terá de pagar multa de 1% sobre o imposto devido ao mês. O valor mínimo é de R$ 165,74 e o máximo, de 20% do imposto devido.